Portaria Virtual

Portaria Virtual

Um assalto ocorrido em um condomínio no Centro de São Paulo no ano passado teve um desfecho inusitado, graças à tecnologia.

 Com a ajuda de um funcionário de sua confiança, o apartamento de uma lojista chinesa foi invadido. Os bandidos fizeram ela e o tio reféns enquanto recolhiam objetos de valor e uma quantia de aproximadamente R$ 60 mil em espécie. O que os assaltantes não esperavam é que policiais militares entrassem no prédio, e os detivesse antes deles conseguirem se evadir do local.

Todos da quadrilha – inclusive os que aguardavam em um carro do lado de fora do edifício – foram presos. A operação só foi possível porque uma sócia da comerciante assistiu às movimentações pela internet através de imagens gravadas por câmeras instaladas no apartamento. Ao constatar o assalto, ela rapidamente entrou em contato com um funcionário da loja que chamou a polícia. Detalhe: A sócia – que também é familiar da dona da casa assaltada – estava a milhares de quilômetros de distância de São Paulo, especificamente na China.

Portaria virtual – A tecnologia possibilitou atitudes como a mencionada. A sistemática de controle de segurança à distância já existe e é uma realidade disseminada em muitos condomínios em todo o Brasil. Mas outra novidade vem chamando a atenção de síndicos e condôminos: a portaria virtual. Se o condomínio citado no exemplo acima contasse com a portara virtual, não existiria risco de que o porteiro fosse agredido ou pressionado a permitir a entrada de estranhos no prédio, pois com a novidade, o porteiro fica a quilômetros de distância da portaria.

Outra vantagem do serviço é a economia. A adoção da portaria virtual para garagens e portarias pode diminuir em até 50% a folha de pagamento do condomínio. A ferramenta substitui a presença física do porteiro na guarita por um profissional que fica no escritório da empresa, monitorando tudo de longe. O processo de entrada funciona de modo semelhante ao tradicional: ao chegar, o visitante interfona para falar com o porteiro. Este fará o contato com o morador para checar a permissão de entrada e em seguida libera, ou não, a passagem do visitante. Tudo é monitorado por câmeras instaladas estrategicamente no condomínio.

Em Belo Horizonte algumas empresas já disponibilizam o serviço da portaria virtual. Rodrigo Mafioleti é franqueado da Porter do Brasil, empresa especializada na prestação deste serviço, presente em BH desde outubro de 2014. Segundo ele a portaria virtual traz muitos benefícios dentre eles uma melhor segurança para os moradores e a diminuição nas despesas do condomínio, já que alguns funcionários poderão ser dispensados. Outra empresa especializada no serviço é a Staff Brasil, franqueada da Vision, que já opera alguns prédios em Belo Horizonte. Para Luiz Santana, diretor comercial da empresa, com a implantação da portaria virtual, os condomínios terão todo o fluxo de pessoas e veículos monitorados, garantindo o registro, identificação e autorização de acesso de visitantes e/ou prestadores de serviços, somente após autorizados pelos moradores. “Iniciamos nosso trabalho em novembro de 2013 e já temos alguns condomínios operando com a portaria virtual, contando com ótima aceitação por parte dos moradores e usuários. Nossa meta em 2015 é mobilizar e implementar ações que nos possibilite disseminar e esclarecer aos síndicos, administradores e condôminos, as inúmeras vantagens que a solução tecnológica propiciará, finaliza Santana.

Mas para que o serviço seja disponibilizado com segurança e qualidade, algumas alterações devem ser feitas no prédio. “Para isso é necessário que seja agendada uma visita ao condomínio para avaliar o que deve ser adequado. Cada condomínio é um caso e deve ser avaliado separadamente. Tudo isso vai influir nos custos de implantação do sistema. Mas uma coisa é certa: a portaria virtual traz mais economia do que gastos” afirma Rodrigo.

Serviços tem ótima aceitação

O Condomínio do Edifício Fragonard, foi o pioneiro na instalação da portaria virtual em Belo Horizonte. O responsável pelo convencimento dos condôminos foi o engenheiro Jair Agostini que era síndico do condomínio em 2013. “No começo foi difícil convencer os moradores, aprovamos a implantação da portaria virtual por poucos votos de diferença, mas hoje, com o sistema em funcionamento, já temos a aprovação de ampla maioria dos moradores” comenta Jair. Ele conta que com a portaria virtual o condomínio é monitorado 24 horas. “temos 9 câmeras instaladas no condomínio. Certa vez um morador deu uma festa e o porteiro, que está lá na empresa contratada, monitorando o nosso prédio, viu um casal em atitude suspeita. Ele entrou em contato comigo e eu liguei para o responsável. Poderia não acontecer nada, mas senti que o serviço funciona” declarou.

Publicidade

Nenhum banner encontrado